A ser realizado no primeiro e/ou segundo trimestre de gravidez.

O rastreio pré-Natal é um teste não invasivo que avalia o risco fetal de alterações genéticas com base em marcadores bioquímicos associados à gravidez e com marcadores ecográficos do feto. Este teste permite estimar o risco fetal de Síndrome de Down (trissomia 21) e Síndrome de Edwards (trissomia 18) com uma sensibilidade entre os 86-89% no 1º trimestre e de 68% no 2º trimestre. Este teste é habitualmente aplicado à generalidade da população obstétrica e não acarreta risco para a integridade do feto.

Rastreio Pré-Natal Não Invasivo: G-Life

Este rastreio é indicado em casos de grávidas com risco de terem um feto com anomalia genética.
O G-Life é um teste de ADN livre, com certificado CE-IVD. Permite quantificar o material genético (ADN livre) que circula no sangue materno, procurando identificar alterações genéticas do feto, como a ausência de cromossomas ou a presença de cromossomas extra (alterações numéricas). Estas alterações são designadas de aneuploidias e estão associadas a síndromes: síndrome de Down (trissomia 21),síndrome de Edwards (trissomia 18) e síndrome de Patau (trissomia 13).

O G-Life permite a identificação do sexo fetal e a deteção de alterações numéricas no par de cromossomas sexuais associadas a síndromes, como síndrome deTurner (X0), Klinefelter (XXY) , triplo XXX. Deteta, ainda, um painel alargado de microdeleções associadas a malformações sindrómicas graves, e identifica trissomias 22,16 e 9.

Em parceria com um Laboratório de Genética Médica, disponibilizamos um conjunto de testes de rastreio pré-natal que avaliam o risco fetal de alterações cromossómicas.